LECTIO DIVINA

A Lectio Divina – leitura orante da Bíblia – remonta desde as primeiras comunidades cristãs influenciadas pelo judaísmo que se reuniam para ler, escutar e meditar a Palavra de Deus. Com Orígenes (185-254 d.C), vem a expressão Lectio Divina e seu uso. Para ele, a vida espiritual do cristão é a Escritura lida, meditada, compreendida e vivida. Posteriormente, pelos séculos V e VI essa prática torna-se comum entre os mosteiros. Mas foi Guido, um monge cartuxo, que, por volta de 1150, organizou a Lectio Divina em quatro degraus como uma “escada que nos leva da terra ao céu”. Mesmo que na Idade Média essa prática tenha entrado em desuso, no séc. XX aconteceu a revalorização da Lectio Divina. A Dei Verbum do Concílio Vaticano II afirmou que: “é necessário que todos mantenham o contato íntimo com as Escrituras” (DV 25). Então, reinicia-se a intimidade com a Palavra de Deus pelo estudo e pela oração.

DEGRAUS DA LECTIO DIVINA

1. LECTIO (Leitura): o que o texto diz?

Neste primeiro degrau o leitor é convidado a preparar-se para essa leitura sagrada, guardando um tempo para aquietar o corpo e mente a fim de começar a concentrar todo o seu ser num único foco. Assim, escolhendo uma passagem bíblica, deve fazer uma leitura atenta, pausada, respeitosa e de preferência também audível, com o intuito de sentir a força de cada palavra e compreender o que está acontecendo. A repetição da leitura é importante, pois ajuda a analisar o texto e perceber o que ele está dizendo por si mesmo. É importante também saber que aqui, não se trata de uma leitura para adquirir conhecimento, obter informações ou análises críticas.

2. MEDITATIO (Meditação): o que o texto me diz?

A meditação proporciona reflexão em oração sobre aquelas partes que mais chamou a atenção do leitor. Aqui, a razão entra em atividade, mas com a ajuda da graça de Deus. Desta forma, deve-se pronunciar várias vezes a palavra que mais lhe atingiu, deixando que ela caia e penetre nele profundamente. É a Palavra de Deus passando pouco a pouco da nossa cabeça ao nosso coração.

3. ORATIO (Oração): o que o texto me faz dizer a Deus?

Esse terceiro degrau consiste numa resposta àquilo que Deus me disse na meditação em sua Palavra. Essa resposta pode ser súplica ao perdão divino, caso na meditação a Palavra me despertou para um pecado; louvor e agradecimento, caso tenha-me lembrado do amor e dos feitos de Deus. Caso a Palavra tenha me ensinado, corrigido, animado, etc, então minha resposta (oração) será de acordo com o sentimento que permanece em mim quando percebo o que Deus quis de mim na meditação. O importante é que a oração seja bem espontânea, deixando-se ser guiado pelo Espírito Santo e mantendo sempre nosso coração aberto a Deus.

4. CONTEMPLATIO (Contemplação): o que Deus através do texto faz em mim?

Nessa “escalada”, Deus está tomando conta cada vez mais de nós. O raciocínio e a imaginação vão dando lugar ao silêncio. Não tendo mais palavras a responder Deus nos resta abandonar-se N’Ele através do silêncio. Na contemplação não há palavras, imagens, conceitos, sentimentos. Agora é Deus que faz em mim no silêncio e sem eu perceber sua ação. Ela é puro dom de Deus e não depende do meu esforço, mas sim do meu abandono. Deus “me interrompe” na oração para que eu permanecendo imóvel num profundo recolhimento, Ele venha realizar em mim o seu desejo, a sua Palavra.

Além dos 4 degraus da Lectio Divina, alguns estudiosos incluem mais 3 passos posteriores, que são uma explicitação do que se pressupunha do método tradicional. São eles:

  1. COLLATIO (Colação = confrontar, contribuir): consiste na partilha espiritual e comunitária das experiências com a Palavra de Deus.
  2. ERUCTATIO (Eructação): “transbordamento da superabundância” de tudo que a Palavra de Deus gerou em nós.
  3. ACTIO (Ação): Aplicar à própria vida o que a Palavra nos ensinou.

“Toda escritura é inspirada por Deus e útil para instruir, para refutar, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, qualificado para toda boa obra.” (II Tm 3,16)

 

Adaptado por Ir. Jackson, NJ* do livreto “LECTIO DIVINA” – Ir. Marcus Mareano, NJ e André Sabino e do livro: LECTIO DIVINA: um caminho para a Contemplação (HALL, Thelma. – Lectio Divina: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 2001.
* Membro do Instituto Religioso Nova Jerusalém. Licenciado em Física pela UFC e em Filosofia pela UECE. Graduando em Teologia na FAJE-BH e pós-graduado em Formadores para Vida Religiosa no ISTA-BH. Contato:jack22nj@hotmail.com

Onde Estamos. Veja mais